skipToMain
Siga-nos:

Belenenses SAD requer equilíbrio entre “acelerar” e “ter paciência” - Pepa

Tiago Mendes Dias
Futebol \ sábado, setembro 11, 2021
© Direitos reservados
O Vitória deve-se mostrar simultaneamente “dominador” e comedido frente a um adversário forte na transição, frisa o treinador, ao antecipar o regresso à competição, neste domingo.

“Parece que já foram há muito tempo os jogos com o Vizela e com o Braga”, desabafa o treinador do Vitória, ao antecipar a receção ao Belenenses SAD, marcada para as 20h30 deste domingo, no D. Afonso Henriques.

Pepa adiantou que o “nervosinho” da competição está de regresso com a aproximação do encontro da jornada da Liga Bwin, no qual espera um Vitória “dominador”, mas também avisado da valia do oponente treinado por Petit, sobretudo no contra-ataque. Exige-se assim à turma de Guimarães uma performance com alternância entre o risco e a contenção.

“Temos de ter capacidade para não nos precipitarmos com bola. Temos de acelerar o jogo quando tiver de ser. Temos de ter paciência, mas sendo intensos e procurando a baliza adversaria. Temos de circular a bola para desgastar o adversário e encontrar os momentos certos para desequilibrar”, resumiu.

Sem se iludir com o último lugar dos azuis, o timoneiro vitoriano lembrou que todas as equipas são “difíceis e competentes”; esta, em particular, vai obrigar o Vitória a ser “forte no controlo da profundidade e na reação à perda”, por causa dos 50 metros que vai deixar com frequência nas suas costas. “Sabemos que o Belenenses SAD é uma equipa que, á partida, vem com uma ‘linha de cinco’. Até gosta de pressionar alto, mas, se tiver de vir para trás, tem capacidade para explorar esses 50 metros”, especificou.

 

“Muito orgulho” na formação

Agradado com o trabalho desenvolvido nas duas semanas de interrupção competitiva, até pela ausência de “ruídos de quem é que entra e de quem é que sai”, típicos do encerramento do mercado de transferências, Pepa congratulou o Vitória pelas chamadas de Celton Biai, André Almeida e Tomás Händel à seleção portuguesa sub-21, de Hélder Sá, André Amaro e Gui aos sub-20 e de Herculano e Sylvestre aos sub-19.

“Sinto muito orgulho. Parabéns à formação e ao clube pelo trabalho de excelência que está a fazer. Os jogadores têm uma mentalidade competitiva que dá gosto. Acabo por aproveitar esse bom trabalho”, reconheceu.