skipToMain
Siga-nos:

Espírito de sacrifício valeu um ponto

Hugo Marcelo
Futebol \ domingo, setembro 12, 2021
© Direitos reservados
O Vitória SC, reduzido a nove unidades desde o minuto 60, empatou (0-0) frente ao Belenenses SAD. A formação de Pepa deixou o relvado sob fortes cânticos e aplausos da massa adepta vitoriana.

Após a paragem para os jogos das seleções, a Liga Portugal Bwin regressou ao castelo. Em jogo a contar para a 5ª jornada do campeonato, o Vitória SC recebeu, no Estádio D. Afonso Henriques, a visita do Belenenses SAD.

Em relação ao último onze utilizado na deslocação à Pedreira que terminou empatado a zeros, Pepa operou três mudanças na equipa inicial: Alfa Semedo, Tiago Silva e Marcus Edwards em detrimento de Tomás Handel, André Almeida e Rochinha – com queixas lombares depois jogo que fez ao serviço da seleção nacional de Sub21 frente à Bielorrússia, Tomás Handel não recuperou a tempo e ficou de fora da convocatória.

Na antevisão do encontro, Pepa tinha pedido uma equipa uma “equipa dominadora”, mas a tarefa dos conquistadores complicou-se bastante cedo, fruto da expulsão prematura de Alpha Semedo, ao minuto 10. O internacional guineense abandonou o campo em lágrimas sob um forte aplauso da plateia vitoriana.

Embalado por um apoio vibrante vindo das bancadas, o Vitória SC não desarmou e, ao minuto 18, esteve muito próximo de marcar por intermédio de Óscar Estupinan que, num golpe de cabeça atirou ao ferro da baliza à guarda de Luiz Felipe.

Apesar da inferioridade numérica, a formação vitoriana esteve sempre ligeiramente por cima até ao intervalo e, apesar de não ter conseguido criar mais nenhuma ocasião clara de golo, nunca perdeu o sentido de baliza. Tudo empatado ao intervalo.

Os minutos iniciais da segunda metade foram idênticos aos da primeira e, ao minuto 59, tudo se complicou, ainda mais, com a expulsão de Borevkovic. O central já estava "amarelado" e, ao travar em falta Safira, viu o segundo e recebeu ordem de expulsão. Vitória SC ficou reduzido a nove unidades.

Pepa reagiu rapidamente à nova expulsão e mudou duas peças na equipa: André Almeida e Jorge Fernandes em detrimento de Edwards e Ricardo Quaresma.

Com cerca de 20 minutos para jogar, entrou em campo a famosa “camisola 12” do Vitória SC. Os cânticos dos mais de 10 mil vitorianos presentes no D. Afonso Henriques, subiam cada vez mais de tom e pareciam galvanizar a equipa vitoriana que conseguia manter a sua baliza longe de perigo.

Aos 76, Pepa voltou a mexer e lançou Rochinha para o lugar de Óscar Estupinan e, momentos depois, aconteceu um momento de enorme apreensão no D. Afonso Henriques. Após um choque violento com Safira, o português caiu inanimado no relvado e saiu diretamente para a ambulância enquanto nas bancadas entoavam o seu nome.

Depois de um longo período de paragem para assistir o jogador vitoriano, o jogo reatou já em cima do minuto 90 e foi o Vitória SC a desperdiçar uma ocasião soberana para marcar. O lateral-direito Sacko, na cara do guarda-redes, atirou a centímetros do poste. O mesmo Sacko voltou a ameaçar o golo com um remate cruzado, mas o guarda-redes opôs-se com uma grande intervenção. Excelente resposta dos conquistadores, reduzidos a 9 unidades desde o minuto 60.

Até final, o marcador manteve-se intacto e o jogo terminou com a divisão de pontos em Guimarães. Os pupilos de Pepa deixaram o relvado debaixo de cânticos e aplausos do público presente nas bancadas que apreciou o sacrífico da equipa.

Ao cabo de cinco jornadas disputadas, o Vitória SC é 10º classificado, com 6 pontos somados. Na próxima jornada segue-se a visita a Arouca.