skipToMain
Siga-nos:

Pro-Nacional: GD Serzedelo no pódio em época atípica

Hugo Marcelo
Futebol \ quinta-feira, junho 10, 2021
© Direitos reservados
Com a obtenção do 3º lugar na tabela classificativa, o GD Serzedelo foi a equipa vimaranense em maior destaque num campeonato atípico onde se disputaram apenas 11 jornadas.

A presente edição do principal campeonato da AF Braga chegou ao fim este fim de semana. O GD Joane, com 31 pontos somados nos 11 jogos disputados, sagrou-se campeão da AF Braga Pro-nacional Série B 2020/2021. Em competição estiveram seis equipas vimaranenses na qual se destacou o GD Serzedelo com a obtenção do 3º lugar na tabela e com a defesa menos batida do campeonato, com apenas quatro golos sofridos. O Tempo de Jogo esteve à conversa com os treinadores das equipas vimaranenses em competição para um balanço final da época e foi unânime, entre todos, que a pandemia foi um fator que influenciou negativamente a temporada.

Fernando Fontão (GD Serzedelo 3º lugar): "O aspeto negativo foi geral - a pandemia que provocou a uma paragem de campeonato e que nos obrigou a adiar os jogos e isso foi bastante complicado para nós. O Serzedelo, como toda a gente sabe, não desceu a época passada devido a esta situação pandémica, este ano foi um projeto que começou do "menos zero". Tivemos que formar um plantel novo, fiquei apenas com três jogadores da época passada e demorou algum tempo a criar a simbiose e entre os novos atletas. Acima de tudo, o balanço é positivo. Penso que o trabalho foi bem conseguido, atingimos um lugar de pódio em meia época e conseguimos fazer um trabalho excelente. Foi pena termos feito apenas 11 jogos, tenho a certeza que com mais jogos poderíamos ter dado muito mais".

Rui Castro (CC Taipas 5º lugar): "Foi um ano muito complicado por causa da pandemia. O Taipas também já tinha tido alguns problemas internos e a pandemia só veio agravar um pouco a situação. Foi uma época muito atípica, houveram muitas paragens e tínhamos como objetivo terminar nos quatro primeiros lugares mas acabámos por não conseguir. Poderia ter sido uma temporada melhor, mas com a desistência de alguns jogadores e com outros problemas que foram surgindo a tarefa ficou mais difícil".

Zé Faria (Ponte 8º lugar): A pandemia prejudicou a época sem dúvida, não só a nós mas também a outras equipa. A nossa metodologia assenta em trabalho contínuo e a partir do momento que esse trabalho é interrompido tivemos que voltar atrás. Fomos fustigados com muitas lesões e jogadores infetados com COVID-19. Nesta última retoma vimo-nos impedidos de utilizar 5/6 jogadores que eram cruciais para a nossa equipa e isso afetou-nos. Quando nos apercebemos que era praticamente impossível chegar ao primeiro lugar optamos internamente por avaliar o nosso plantel e colocar jogadores em posições que possam fazer no próximo ano. Decidimos também premiar alguns atletas que nos ajudaram durante a época e que nunca tinham competido a este nível".

Pedro Adão (Sandinenses 9º lugar): "Inicialmente o nosso objetivo era ficar nos primeiros quatro lugares do campeonato, mas depois da paragem tudo se complicou para nós e esse objetivo deixou de fazer sentido. A temporada não correu como nós planeamos, começamos bem o campeonato, mas depois dessa paragem nunca conseguimos encontrar a nossa melhor forma e talvez tenha sido por aí que se resumiu a irregularidade da nossa época. Agora é tempo de repensar tudo e corrigir o que fizemos mal".

Adriano Araújo (Ronfe 10º lugar): "Ficamos com a sensação de que foi uma época demasiado curta, tivemos de fazer três pré-épocas e só conseguimos ter a oportunidade de disputar apenas dois jogos em casa. Ainda assim, o balanço geral foi positivo por conseguirmos estar ativos e pelo conjunto de atletas que tivemos ao dispor. Penso que dignificamos o clube e honramos o símbolo e esse era o nosso principal objetivo". 

Ivo Roque (Torcatense 12º lugar): O balanço é negativo em todos os sentidos na minha opinião. Não conseguimos ter continuidade a nível de treino e a nível de jogo, isso prejudicou. A equipa foi construída com um orçamento baixo, jogadores jovens para nos próximos anos atingir outros patamares. Tentamos ser competitivos, respeitar a competição e dar minutos a outros jogadores".