skipToMain
Siga-nos:

Resultado é “ajustado”, mas Sá Pinto queria “ter feito mais”

Hugo Marcelo
Futebol \ sábado, janeiro 15, 2022
© Direitos reservados
No final do jogo, o técnico cónego disse que a equipa técnica está satisfeita, os jogadores estão motivados e que agora há “responsabilidade para ganhar”. Décimo lugar está no horizonte.

Ricardo Sá Pinto é um treinador com experiência e sabe que, no futebol, “sem bola é muito difícil” jogar. Na primeira parte, o Moreirense teve pouco mais de 20% de posse de bola, estatística que melhorou – ainda que não de forma significativa – na segunda metade. “O volume é tanto que é difícil para tudo e conseguir um bom resultado, apesar de termos preparado bem o jogo”, começou por dizer o timoneiro antes de explicar a estratégia que levou para a Luz: “sabíamos que tínhamos que fazer o nosso jogo, tentar pará-los de todas as formas e mais algumas, sabíamos que íamos sofrer e que tínhamos de estar muito organizados, preparámos bem o jogo nesse aspeto, mas faltou-nos chegada, principalmente na primeira parte”. E acrescentou: “uma equipa que está 90 minutos só a defender, dificilmente ganha ou não perde”.

Apesar de considerar que o resultado se ajusta “ao volume de jogo”, admite que a equipa queria “ter feito mais”. Reconhece que os seus jogadores foram “mentalmente fortes” e que a equipa “sabia o que fechar, como parar o adversário e sabia que ia ter a sua oportunidade de fazer um golo”. E a oportunidade chegou logo depois da hora de jogo, seguindo-se o golo do empate nos minutos seguintes. “Houve muito crer, vontade e organização. Foi pena o golo logo a seguir. Eu acredito que fizemos o mais difícil”, disse. O treinador defende que se o Moreirense tivesse aguentado a vantagem por mais uns minutos ia contar-se uma história diferente depois do apito final: “foi pena termos tido um minuto para saborear aquele golo, se tivéssemos aguentado cinco ou seis minutos, acho que íamos conseguir aquele resultado. Foi pena, mas soubemos sofrer e segurar este resultado, que dentro do que prevíamos acaba por ser bom para nós”.

O timoneiro ainda reagiu às acusações de Grimaldo. O espanhol acusou o Moreirense de se entregar ao antijogo, mas Sá Pinto afirmou que não passa de frustração e rejeitou perentoriamente a imputação feita pelo jogador: “percebo a frustração dele porque foi realmente difícil jogar contra nós. Cada um usa as suas estratégias e armas como pode, mas antijogo não houve e nunca vai haver comigo”.

Com mais de metade do campeonato para trás, o Moreirense é, nos dias que correm, um clube de bem com a vida. Para a equipa técnica, “uma vitória num dérbi e vir empatar à Luz é um começo muito bom”. E, mais do que isso, há uma equipa que se sente “mais forte, mais motivada e alegre”. Os cónegos regressam aos relvados dentro de uma semana para defrontar o Santa Clara dentro de portas num “jogo com muita responsabilidade para ganhar”. Os moreirenses estão, ainda que à condição, no 13.º posto da tabela e direcionam energias para voar um bocadinho mais alto: “estamos perto do décimo lugar, mas falta muito pela frente”. O Moreirense está a dois pontos do Boavista, atual 10.º classificado com 18 pontos somados.