skipToMain
Siga-nos:

Três técnicos e 15 pontos somados: o balanço da 1.ª volta do Moreirense

Hugo Marcelo
Futebol \ sexta-feira, janeiro 14, 2022
© Direitos reservados
A dança de treinadores no banco do Moreirense marcou a 1.º volta do clube. A chegada de Ricardo Sá Pinto parece ter dado uma nova vida aos cónegos que continuam ainda em posição delicada da tabela.

A primeira volta da edição 2021/2022 da Liga Portugal bwin terminou ontem, dia 13, com o confronto entre Famalicão e Belenenses SAD no acerto de contas da 16.ª jornada. Ao cabo de 17 rondas disputadas, é o FC Porto, com 47 pontos amealhados, que lidera a classificação fruto de um percurso imaculado sem qualquer derrota. No extremo oposto da tabela, e depois de mais uma derrota na noite de ontem na casa dos famalicenses, o Belenenses SAD é cada vez mais último e confirmou o estatuto de lanterna vermelha da prova ao somar apenas 11 pontos na primeira metade da temporada.

É em Moreira de Cónegos que centramos as atenções por agora. À semelhança do que tem sido habitual nos últimos anos, a 12.ª época – e a sexta consecutiva – dos axadrezados entre a elite do futebol português tem sido marcada pela sucessão de treinadores. Ricardo Sá Pinto, que assumiu o comando técnico no dia 6 de janeiro, orientou a equipa no triunfo sobre o Vizela para encerrar as contas da primeira volta do campeonato. Foi o terceiro treinador da temporada a assumir as rédeas da equipa. O percurso sinuoso do Moreirense na Liga Portugal bwin culminou, ao fim de 17 jogos, no 15.º posto da tabela com 15 pontos somados – em igualdade pontual com o Famalicão –, consequência do registo de três vitórias, seis empates e oito derrotas.

O Moreirense iniciou a presente temporada com João Henriques ao leme da equipa principal. A 5 de junho de 2021, o treinador de 49 anos rendeu Vasco Seabra, mas a sua passagem por Moreira de Cónegos não foi feliz e o ponto final da história chegou ao fim de 15 jogos. Com apenas uma vitória no campeonato – diante do Arouca –, seis empates e cinco derrotas, o tomarense deixou os axadrezados no lugar de acesso ao play-off de permanência com apenas nove pontos somados e fora da Taça da Liga depois da derrota frente ao Penafiel, clube do segundo escalão, por 2-1 logo na primeira eliminatória da prova. O único brilharete de João Henriques ficou guardado para a prova-rainha. Ainda sob as ordens do técnico, o Moreirense chegou aos quartos de final da Taça de Portugal: primeiro afastou o Oriental Dragon da Liga 3 com um triunfo por 2-3 no prolongamento; e depois venceu, também por 3-2, o Vitória SC, afastando assim a antiga equipa e rival concelhio.

Seguiu-se Lito Vidigal, mas a estadia do 16.º treinador a liderar o emblema cónego no escalão maior do futebol nacional não foi duradoura e terminou ao final de um mês.  Depois de cinco jogos no comando técnico da equipa principal, o treinador de 52 anos conseguiu vencer apenas em uma ocasião - por 1-0 frente Estoril - acabou por não resistir à onda de maus resultados e deixou o clube no 16.º posto do campeonato, com 12 pontos totalizados, acrescentando assim mais três aos nove amealhados por João Henriques.

Por fim, Ricardo Sá Pinto. O treinador de 49 anos regressou ao futebol português depois de na temporada 2019/2020 ter orientado o SC Braga e não poderia ter tido melhor estreia no comando técnico dos cónegos. No dérbi do passado dia 8 de janeiro, em casa do rival Vizela FC, o Moreirense alcançou um importante triunfo fora de portas, por 0-1, graças ao golo solitário do avançado brasileiro Rafael Martins. Graças a esse triunfo, o Moreirense alcançou a marca dos 15 pontos no fecho da primeira volta mas continua ainda em zona delicada da tabela. Os cónegos ocupam o 15.º lugar da Liga Portugal bwin, em igualdade pontual com o FC Famalicão.

Perto da cauda da tabela, o Moreirense somou apenas três vitórias, seis empates e oito derrotas. Números que são consequência dos 17 golos marcados e 26 sofridos. Na primeira volta do campeonato, o registo dentro de portas foi mais positivo do que na condição de visitante. Nos oito jogos disputados no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas para a Liga Portugal bwin, os cónegos somaram nove pontos: venceram dois jogos, empataram três e perderam outros três.

Deslocação à Luz dá início à segunda metade do campeonato

O Moreirense inicia a segunda volta do campeonato já no próximo sábado, dia 15 de janeiro, com a sempre difícil deslocação ao Estádio da Luz, frente ao SL Benfica, em jogo da 18.ª jornada da Liga Portugal bwin. Em jogos disputados no reduto dos encarnados - desde o ano de 2003 - o saldo é claramente negativo para os cónegos. No entanto, o saldo das últimas viagens dá aso a alguma esperança axadrezada. É que o emblema vimaranense, na casa do SL Benfica, conseguiu os três resultados possíveis nos últimos três confrontos. Em 2018/2019, o golo de Jonas logo ao segundo minuto foi insuficiente para segurar Chiquinho, Pedro Nuno e Loum que selaram o triunfo por 1-3 ainda antes de recolher aos balneários para o intervalo. Em 2019/2020, Fábio Abreu marcou primeiro para os visitantes e o triunfo quase se materializou, mas Pizzi dividiu os pontos já no tempo de compensação. Na última temporada, o Moreirense não conseguiu marcar e os golos de Rúben Dias e Haris Seferovic fizeram com que os pontos ficassem em Lisboa.