skipToMain
Siga-nos:

A arbitragem está mudada

José Carlos Novais
\ segunda-feira, novembro 29, 2021
© Direitos reservados
A arbitragem vimaranense encontra-se a passar um período bastante delicado e preocupante com a falta de quantidade de árbitros nomeadamente de jovens.

A época 2021-2022 nas competições da AF Braga já se encontram em curso, numa retoma que está a ser marcada por lenta e progressiva, após paragem prolongada derivado da situação pandémica que infelizmente teima em permanecer na nossa sociedade até à data de hoje.

Já num plano desportivo, de forma a informar os nossos leitores, a nível das competições, o regresso a alguma normalidade iniciou-se no fim-de -semana de 11 de Setembro com o futebol de 11, nomeadamente com o Campeonato Sénior da Pro Nacional e imediatamente na semana seguinte com o Campeonato Divisão de Honra, pelo que foram os primeiros privilegiados a voltar a sentir o “bichinho” da bola.

Já no início do mês de Outubro regressou também a competição no futebol de formação, na qual milhares de jovens tiveram a felicidade de voltar a fazer umas das coisas que mais apreciam que é a paixão em jogar futebol.

Após esta breve introdução e elucidação em termos de temporais e também numa vertente teórica do regresso do futebol distrital em Braga, entremos numa mais prática, nomeadamente no tema da arbitragem que e de uma problemática associada que se tem vindo a desenvolver progressivamente e a ter grande impacto de alguns anos para cá, que não é novo, que não é nem mais nem menos, a questão, “Falta de Árbitros na Arbitragem Nacional” mas mais concretamente a nível do distrito de Braga e da nossa cidade Guimarães!

A arbitragem vimaranense encontra-se a passar um período bastante delicado e preocupante com a falta de quantidade de árbitros nomeadamente de jovens que notoriamente se encontram afastados desta atividade…Esta situação pandémica veio expor ainda mais um problema recorrente e comum em todas as épocas desportivas, que é a formação de novos árbitros e o trazer pessoas para a arbitragem. Hoje em dia ouvimos relatos e desabafos em conversar informais entre árbitros no ativo, a relatarem que a arbitragem está mudada, que hoje em dia, já não existem árbitros como antigamente, os “miúdos” já não querem nada com isto. Pergunto, quais serão as razões para tal distanciamento? O que deverá ser feito em prol da formação de novos árbitros? Que sensibilização devem os responsáveis e o dirigismo procurar?

Dou-vos um exemplo prático, há 10 anos atrás num curso de arbitragem teríamos mais de 20 jovens inscritos que no fim do mesmo estavam aptos e exerciam a atividade, hoje no ano 2021 num curso que se iniciou em Novembro não temos mais do que uma dezena de formandos. Seria importante os dirigentes responsáveis que regem e tomam decisões reuniram um certo de questões oportunas e responderem a essas mesmas com propostas, com soluções, a fim de evitar corrermos o risco de brevemente muitos jogos não se realizarem pela falta de árbitros. Questões estas que podem e devem ser respondidas rapidamente, para que não se caia num profundo “vazio” de não termos árbitros nos jogos das competições distritais.