skipToMain
Siga-nos:

Arbitragens do Euro 2020...Um dos destaques do Europeu

Alain Freitas
\ sexta-feira, julho 02, 2021
© Direitos reservados
Foram 14 penáltis até à data, um número que a UEFA justifica com o argumento da utilização eficaz do videoárbitro (VAR) afirmando que atualmente, é impossível falhar em lances como um pisão claro.

Num desporto como é o Futebol, em que o erro está e estará sempre presente é importante realçar que as arbitragens do Europeu de Futebol têm tido de uma forma em geral uma opinião francamente positiva, reconhecida e aceite por jogadores, treinadores, pelos media e acima de tudo pelos adeptos em geral.

A que se deve este facto? Quais serão os motivos? Por que razão lances capitais não estão a ser alvo de minuciosas análises ou de ataques ferozes de descortine-o fácil da opinião pública? Questões que certamente merecem uma pequena reflexão de todos….

Para ajudar nas mesmas durante esta semana o Comité de Arbitragem da UEFA (liderado por Roberto Rosetti e ex-árbitro de elite ) fez um balanço à qualidade das arbitragens até esta primeira fase em que se disputaram e concluíram a fase de grupos, nomeadamente em lances de Pontapé de Penaltis, Fora de Jogo, Faltas e Cartões.

As coisas podem ser postas desta forma: na fase de grupos do Euro 2020 já foram assinaladas mais grandes penalidades do que em todo o Campeonato da Europa de 2016. A título de curiosidade, foram 14 penáltis até à data, um número que a UEFA justifica com o argumento da utilização eficaz do videoárbitro (VAR) afirmando que atualmente, é impossível falhar em lances como um pisão claro no pé dentro da área, porque para o VAR é muito fácil identificar a infração.

No Euro 2020 tem havido uma inovação em tecnologias, tal como por exemplo, um VAR exclusivamente dedicado à análise do fora-de-jogo, uma medida que a UEFA acredita que também tem contribuído para acelerar a tomada de decisão e evitar assim que uma equipa obtenha golos através de uma vantagem injusta que dão aso a críticas fortes e duras para com as equipas de arbitragem, e deste modo é muito mais fácil acertar a decisão e neste capítulo não se consumaram erros.

No capítulo, Número de Faltas e Cartões, em termos gerais, a estatística é favorável uma vez que, estão a ser assinaladas menos faltas e a mostrar-se menos cartões em comparação com Europeus realizados em edições anteriores.

Em jeito de apito final, mérito para todos os intervenientes, para a atitude dos jogadores, dos treinadores ao jogo e a respetiva preparação tática bem como para as equipas de arbitragem que permitem um jogo fluído não apitando ao mínimo toque cada contacto…aliada a maior vontade em jogar futebol com menos paragens de tempo, menores quebras do ritmo da partida ou simples discussões com árbitro por motivos fúteis…

As leis do jogo são bastante claras, ”o mínimo de interferência para o máximo benefício”….

Esperamos assim que a época que se avizinha nas competições internas possa também seguir o paradigma apresentado.