skipToMain
Siga-nos:

Não é Cinzentismo, é Preocupação!

Ricardo Freitas
\ segunda-feira, outubro 04, 2021
© Direitos reservados
Neste momento, se a bola entra ou não é o que menos me inquieta enquanto Vitoriano e também não deverá ser, no meu entender, o foco e o tema principal de discussão dos Vitorianos.

A última semana foi pródiga em notícias do nosso Vitória, nos órgãos de comunicação social locais e nacionais, e não me refiro obviamente ao jogo jogado, a arbitragens ou à classificação desportiva das diferentes modalidades do clube.

Neste momento, se a bola entra ou não é o que menos me inquieta enquanto Vitoriano e também não deverá ser, no meu entender, o foco e o tema principal de discussão dos Vitorianos.

Se é verdade que os resultados desportivos são os que proporcionam à maioria dos sócios e simpatizantes as alegrias ou tristezas a curto prazo, a situação financeira atual do clube e a forma como a mesma é gerida deverá ser discutida de forma prioritária, séria e transparente. Somos um clube quase centenário e não queremos certamente ficar por aqui.

Alguns sócios (felizmente uma minoria) menosprezam a preocupação da maioria dos seus consócios, e esta preocupação não deve ser atacada ou ridicularizada e muito menos vista como uma oposição a qualquer direção. A preocupação é natural e sentida por todos aqueles que amam e querem o bem do nosso clube.

Ficamos a saber na semana em que se realizou a assembleia geral (AG) da SAD que o Vitória está com um Passivo de 61,7 milhões e um Ativo de 57,9 milhões, ou seja, está em falência técnica, com um Capital Próprio negativo de 3,8 milhões de euros.

É o próprio Revisor Oficial de Contas que no seu parecer coloca em dúvida a capacidade para a SAD continuar a manter a sua atividade no futuro.

O resultado líquido da última época (2020/2021) foi negativo num total de 8,2 milhões de euros.

E não, a pandemia não é a justificação para a obtenção destes resultados, mas caberá a cada sócio tirar as suas próprias ilações. Mas para isso, e tendo o clube a posição maioritária da SAD (51%), é urgente que o Presidente da Mesa da Assembleia Geral (PMAG) convoque a respetiva AG. Muitos podem defender que a AG ordinária pode ser realizada até 31 de outubro, conforme consta nos estatutos do clube. É verdade e está dentro da legalidade. Mas, após o conhecimento público destes resultados da SAD, é incompreensível e inadmissível que o PMAG ainda não tenha efetuado a respetiva convocatória.

Aqui não se trata de cinzentismo, mas sim de preocupação.

Conforme o PMAG pode verificar em qualquer dicionário da língua portuguesa, preocupação significa inquietação, apreensão, desassossego, mas também cuidado e prevenção. E como qualquer Vitoriano que se preze, é legítimo existirem estes sentimentos perante as informações veiculadas e cada dia que passa sem se proporcionar esta oportunidade para questionarmos e sermos esclarecidos, é um dia perdido para a estabilidade que todos ambicionamos para o Vitória SC.

Os Vitorianos podem ser acusados de muita coisa, mas nunca de cinzentismo, muito menos pelo seu próprio PMAG. Cinzentismo também é sinónimo de falta de interesse e de falta de esperança.

O PMAG do Vitória SC é o representante máximo dos sócios e deve agir como tal, mas para isso é essencial que saiba que o nosso ADN é preto e branco e que de cinzento nada tem.