skipToMain
Siga-nos:

O desporto nos programas eleitorais de Guimarães

José Luís Ribeiro
\ sexta-feira, setembro 24, 2021
© Direitos reservados
Desconheço se os agentes desportivos vimaranenses consultaram os programas eleitorais das candidaturas à Câmara e se analisarem o que está escrito sobre o desporto. Era bom que o fizessem...

O programa eleitoral das candidaturas partidárias é algo ao qual, geralmente, não se liga grande coisa. Mas devia.

Promovendo “paisagens e cenários de grande beleza”, “vidas e viagens de sonho” e um “futuro promissor”, acredito que os principais (quase que exclusivos) leitores dos programas eleitorais são os próprios políticos, especialmente interessados em saber o que pensam os seus adversários.

Um programa eleitoral é, ou deveria ser, um contrato com o eleitor.

Desconheço se os agentes desportivos vimaranenses consultaram os programas eleitorais das candidaturas à Câmara Municipal de Guimarães e se analisaram o que está escrito sobre o desporto. Era bom que o fizessem, evitando serem depois confrontados com posições e decisões políticas que possam, eventualmente, estar longe de imaginar.

Fazendo abordagens de ângulos diversos ao tema “desporto”, os programas eleitorais das sete candidaturas à Câmara Municipal de Guimarães - apesar de todos reconhecerem a importância e benefícios da prática desportiva (formal e informal) - divergem quanto à dimensão, sensibilidade, conhecimento, reconhecimento, caminhos e estratégias.

Enquanto o Chega defende a reavaliação dos apoios atribuídos às associações através dos dinheiros públicos, advogando uma forma justa e imparcial em que a autarquia deve ser um órgão regulador, o Bloco de Esquerda apenas aborda o desporto enquanto aliado contra a discriminação (sugerindo o apoio à criação de equipas femininas e mistas, a promoção do desporto paralímpico e a articulação com os clubes de campanhas de sensibilização contra o racismo, xenofobia, machismo, LGBTQIA+fobia).

A Iniciativa Liberal propõe protocolos entre as escolas e as associações para incentivar a prática diversificada de modalidades, a identificação e captação de talentos e o crescimento do desporto em todo o concelho. Já o PAN entende, por exemplo, que é importante a existência de espaços de utilização pública livre, a implementação do conceito “Cidade dos 15 minutos”, a existência de chuveiros individuais nos equipamentos, promover a relação entre clubes e patrocinadores e a realização de eventos amadores entre freguesias e concelhos vizinhos.

A CDU apresenta um conjunto de 17 propostas para a área do desporto, focando-se nos apoios e incentivos ao associativismo popular e aos clubes, desporto escolar e pré-escolar, dinamização desportiva dos espaços públicos e a adoção de critérios para a realização de grandes manifestações desportivas e eventos. A CDU quer rever, tornar os preços acessíveis e garantir a equidade no acesso às instalações desportivas municipais e promover uma rede coerente e integrada de instalações em todo o concelho, entre outras propostas.

O programa eleitoral da coligação “Juntos por Guimarães” (PSD e CDS-PP) propõe o pagamento dos custos das inscrições federativas aos clubes de Guimarães, a criação de um gabinete especializado de apoio ao associativismo desportivo em diversas áreas técnicas, do Estatuto do Dirigente Desportivo Local e de um programa extraordinário de apoio ao desporto. O documento da coligação defende o reforço dos apoios regulares aos clubes através de critérios transparentes que diferenciem a realidade de cada clube e a modalidade praticada, assinalando igualmente a necessidade de fortalecer a competitividade dos clubes vimaranenses, numa lógica que considera contribuir para a afirmação nacional e internacional de Guimarães.

O PS, ao contrário do que acontece com as outras seis candidaturas, “privilegia” nas suas 12 propostas da área do desporto alguns clubes do concelho, nomeadamente, o Vitória Sport Clube, o Moreirense e os “Piratas de Creixomil”, referindo-se a todas as restantes coletividades e associações desportivas de Guimarães como “outras”. O programa do PS centra-se na formação e diversificação desportiva e nos equipamentos, recuperando também a criação de um curso superior de desporto. A par da requalificação das piscinas do Vitória para uso comunitário, do aumento da Academia de Ginástica (utilizada em exclusivo por um clube vimaranense) e do apoio às “cidades desportivas” do Vitória, Moreirense e “outros clubes”, as propostas socialistas referem, também, a manutenção dos programas plurianuais, a construção do pavilhão da EB 2,3 João de Meira para apoio ao Vitória “e outros clubes” e do pavilhão de Creixomil para os “Piratas” e “outros clubes”.

Apesar do programa eleitoral do PS referir a existência da Tempo Livre e da candidatura do Chega defender a reavaliação e auditoria às contas de todas as entidades participadas pela autarquia, nenhum dos sete programas eleitorais fala da estratégia para a regie-cooperativa municipal encarregue da gestão do parque desportivo municipal e do fomento e incentivo da prática desportiva no concelho de Guimarães. Da análise dos programas não se consegue concluir se os candidatos defendem o reforço, a manutenção, a redução ou até a extinção da Tempo Livre.