skipToMain
Siga-nos:

Um Vitória incapaz de reagir

Pedro Ribeiro
\ segunda-feira, abril 12, 2021
© Direitos reservados
O nosso panorama desportivo atual é o resultado de um acumular de situações e erros que redundou num momento anímico muito complicado, e nesta fase é muito difícil qualquer jogador sobressair.

Com 10 jogos seguidos a sofrer golos e numa sequência de 5 derrotas consecutivas para o campeonato, o Vitória tarda em reagir… Esta incapacidade em esboçar uma reação é também notória nos próprios jogos. Analisemos este dado de forma um pouco mais sistemática. Em 13 encontros (metade dos 26 jogados) o Vitória entrou a perder (sofreu primeiro um golo). Desses 13, acabou por perder 9. Mais ainda, nos 7 jogos onde o Vitória chegou ao intervalo a perder, acabou por sair derrotado em todos, sem uma única excepção! Nunca conseguiu sequer pontuar...

Naturalmente, isto também se reflecte nos golos vitorianos (um apanhado desta estatística pode ser vista na tabela que acompanha o artigo). De facto, o Vitória é a única equipa do campeonato português que nunca marcou um golo nos descontos, já depois dos 90 minutos! Nem por uma vez foi capaz de marcar naquele forcing final tão típico de quem ainda procura resgatar o resultado. Mais ainda, se estendermos este dado para os últimos 15 minutos (golos marcados depois do minuto 75) vemos que o Vitória é a equipa menos eficaz de toda a Liga, tendo marcado neste período apenas 10% dos seus golos (apenas 3 golos).

O que estes dados mais salientam é que o Vitória vive esta época um momento de desconfiança em si próprio, onde não consegue ultrapassar uma certa passividade. E aqui não posso deixar de apontar a falta que o público faz nos estádios. Certo que todos os clubes sentem, mas num caso como o Vitória é ainda mais notório. Como disse Pepa sobre o último jogo com público do Vitória (8 de Março de 2020; vencemos em P. Ferreira por 2-1): "Os adeptos do Vitória parece que ‘chupam' a bola quando estão em ataque e a empurram para fora quando estão a defender". E que falta nos tem feito este tão importante 12º jogador para acordar e empurrar a equipa nos momentos mais difíceis. Para dar um “choque elétrico” positivo e aumentar a “voltagem” dos jogadores na busca de um resultado melhor.

O nosso panorama desportivo atual é o resultado de um acumular de situações e erros que redundou num momento anímico muito complicado, e nesta fase é muito difícil qualquer jogador sobressair. Estamos numa espiral negativa que nem a chicotada psicológica conseguiu inverter. Não é importante por isso individualizar quem falhou. A equipa está “sobre brasas”, e todos os jogadores, sem excepção, renderiam muito mais num outro contexto e numa outra situação, pois é muito mais fácil trabalhar sobre resultados positivos.

Nesta fase precisamos acima de tudo de recuperar psicologicamente, mais do que qualquer mudança organizacional. É preciso que a equipa acredite em si própria, e estamos "desesperadamente" a precisar de uma sequência de resultados mais positivos para parar esta espiral. Fundamentalmente, é preciso reagir e não cair na inércia e na indiferença. Todos, desde adeptos, direção, equipa técnica e principalmente jogadores. Com união e garra, mas também olhando para dentro e percebendo o que falhou. Porque só admitindo o erro (a todos os níveis) se pode realmente melhorar. Que esta seja uma jornada de viragem para o Vitória!